#TJSP + Seguro – Máscaras são uma das defesas mais efetivas contra a Covid-19 O uso de máscaras de proteção foi uma das primeiras medidas tomadas, em todo o mundo, para o combate à Covid-19. Em São Paulo, o decreto do governo estadual que tornou obrigatório o uso do item em espaços públicos entrou em vigor em maio como mais uma forma de proteção.

No Tribunal de Justiça de São Paulo, o Provimento CSM nº 2.564/20, que estabeleceu o retorno gradual ao trabalho presencial, também tornou o uso de máscara uma obrigação em todas dependências do Judiciário paulista, baseado na Nota Técnica sobre Protocolos e Orientações, do Departamento de Saúde da Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), bem como vedou o acesso àqueles que não estiverem utilizando. Por ser um vírus altamente transmissível, a proteção evita que o novo coronavírus entre no organismo através de gotículas de saliva, espirro, tosse ou por transmissão mecânica - ao coçar o nariz ou colocar a mão, com partículas virais, na boca.
De acordo com o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), as máscaras são individuais e não podem ser divididas entre pessoas. Para funcionar como barreira ao vírus, elas devem ter, pelo menos, duas camadas de tecido - assim como as fornecidas pelo Tribunal - ser trocadas sempre que estiverem úmidas (ou a cada 2 ou 3 horas) e lavadas com sabão ou água sanitária. Antes de colocar ou tirar a máscara, é necessário lavar as mãos ou higienizar com álcool gel 70%.
Um estudo realizado nos Estados Unidos e publicado no periódico médico Journal of General Internal Medicine sugeriu que as máscaras podem fazer mais do que barrar o vírus: elas seriam capazes, ainda, de reduzir a carga viral com a qual os indivíduos têm contato e, consequentemente, contribuir para que a Covid-19 cause sintomas mais brandos. Isso porque, mesmo que algumas cópias do novo coronavírus passem pela máscara de proteção e atinjam o organismo, a quantidade será menor do que na ausência dela, o que se traduz numa carga viral mais baixa a ser combatida, garantindo maior eficiência e rapidez do corpo e em menos sintomas e complicações.

Fonte Comunicação Social TJSP – AA (texto) / MC (arte)
 
Praça Clóvis Bevilaqua, 121 • 4º andar - Cj. 41 • CEP 01018-001 - SP • Tel. (11) 3104-1514