Os benefícios do Processo Digital do TJSP A supervisora da Secretaria de Tecnologia de Informação do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), Mariangela Sabará, e o criador do projeto piloto de automação do TJSP, Francisco Antônio Cavalcanti Lima, trouxeram ao público a experiência do Tribunal paulista com a implantação do sistema de processo digital e as novidades que despontam na área pericial.

As dificuldades para a implantação do projeto, os benefícios gerados pela iniciativa e as novidades relacionadas ao sistema foram alguns dos pontos abordados pelos palestrantes no painel na 26ª CONVECON, que foi conduzido pela conselheira da APEJESP e do CRCSP, Suely Gualano Bossa Serrati e pelo 2º secretário da APEJESP e conselheiro do CRCSP, Marcelo de Almeida Prado.

"Esta contextualização e este panorama geral sobre a utilização da tecnologia no TJ-SP é de muita valia para nós, profissionais de Perícia. Pelo que vocês nos apresentaram, podemos perceber como a tecnologia está auxiliando a melhoria do trâmite dos processos judiciais, atribuindo as tarefas repetitivas para os softwares de inteligência artificial e direcionando o esforço humano para atividades em que ele será melhor empregado", declarou a conselheira Suely após a exposição dos palestrantes.

Impactos das tecnologias disruptivas na perícia contábil

Para Francisco Antonio Cavalcanti Lima, supervisor de serviço do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, "a robotização proporciona resultados transformadores para negócios de diversos seguimentos e é identificada como vetor de aprimoramento das atividades judiciais na medida em que proporciona ganhos de produtividade com segurança e economicidade".

"A robotização representa a utilização de softwares que automatizam tarefas repetitivas que consomem muito tempo quando realizadas por humanos. Durante a primeira iniciativa do projeto de robotização e automação de tarefas, em 2018, o trabalho dos robôs acumulou cerca de 800 mil movimentações processuais, entre correções, movimentações e encerramento de pendências, incluindo mais de 200 mil execuções fiscais extintas nas Varas da Fazenda Pública de Guarulhos. Por conta da relevância do tema, o TJSP instituiu um comitê para ampliação do uso de robotização no âmbito do TJSP. Com a expansão do projeto, nos últimos meses foram executadas mais de 1.200mil atividades por robôs nas unidades participantes, com a previsão de extinção de 259 mil execuções fiscais até o final de outubro", explica.

Com a automatização de tarefas, de acordo com Lima, busca-se maior celeridade processual, aumento de produtividade, redução dos custos operacionais, segurança, redução de falhas humanas inerentes às atividades manuais e repetitivas e melhor aproveitamento da capacidade produtiva dos servidores. Estes ganhos afetam todas as partes envolvidas na tramitação processual: juízes, servidores, peritos e demais auxiliares da justiça.

"Através da robotização atribui-se à tecnologia o desempenho de tarefas repetitivas que, quando desempenhadas manualmente, consomem força de trabalho extremamente qualificada. A tecnologia de automação atua na "grande massa" destas tarefas, deixando serventuários "livres" para lidar com tarefas de maior complexidade", finaliza.

Fonte: Comunicação CRCSP


VOLTAR
 
APEJESP - Todos os direitos reservados © É proibida a reprodução de textos e fotos publicadas, mesmo citando a fonte, sem expressa autorização assinadapelos diretores da publicação. Os artigos e matérias assinadas são de responsabilidade exclusiva dos seus autores. Jornalista Responsável: Suzamara Bastos. Criação: Acessa Brasil